Charleston Dias

Engenheiro Sênior

Charleston Dias é líder da equipe de Dutos da Ausenco e gerente técnico do laboratório da Ausenco no Brasil, tendo mais de 23 anos de experiência no campo de Tecnologias Minerais.
Conectar no LinkedIn
Sediada no
Belo Horizonte
Idiomas
Inglês e português

Charleston Dias é engenheiro de minas, tendo mestrado e doutorado em Engenharia de Minas e Engenharia Metalúrgica. Sua expertise se concentra na caracterização mineral de polpas para dutos a longa e curta distância, sendo especialista em filtragem, reologia e corrosão interna de tubulações. Em uma pesquisa recente, estudou a aplicação de reagentes na filtragem de polpas de minérios.

Em sua função como gerente técnico da Ausenco no Brasil, Charleston estuda as propriedades de polpas e pastas para bombeamento. Supervisiona estudos amostrais e busca formas de inovar e desenvolver novas tecnologias e proporcionar aos nossos clientes, em todo o mundo, ideias precisas e confiáveis.

Além do trabalho em campo, Charleston é coautor de vários trabalhos apresentados em eventos internacionais na área de Engenharia de Minerais, incluindo:

  • Utilização de reagentes para melhorar a filtragem industrial. In: Solid Liquid. Separation´02, 2002, Falmouth. Falmouth: Minerals Engineering International - MEI, 2002.
  • Testes com reagentes para inibição de corrosão em minerodutos de bauxita – corrosão em sistemas de transporte (dutos e navios) INTERCORR2010_315, 2010.
  • O efeito de reagentes na filtragem a vácuo de minério de ferro ultrafino. Filtration & Separation, v.40, n.5, pág. 37 - 39, junho de 2003.
  • Avaliação do ângulo de contato de partículas de hematita por meio de ascenção capilar. In: 60 ABM Annual Congress, 2005, Belo Horizonte.

Os trabalhos de Charleston em dutos incluem:

  • Hydro, Paragominas, Tomé Açu e Barcarena. Estudo de avaliação de granulometria máxima, 2021, gerente técnico. Estudo sobre granulometria máxima para reduzir o desgaste do fundo da tubulação.
  • Ambatovy Minerals S.A., Madagascar. Relatório de Teste de Laboratório no site, outubro de 2019. Trabalho laboratorial com polpas de laterita de níquel.
  • PT Freeport Indonésia. Corrosão por concentrado de pirita. Testes de corrosão na SGS Lakefield. Blend de alta pirita, dezembro de 2018.
  • Imerys, Ipixuna, PR. Corrosão das linhas IRCC e PPSA, 2021, gerente técnico. Testes de corrosão com polpa e água nas minas IRRC e PPSA. Compreensão das taxas de corrosão por polpa e água sob condições de bombeamento e avaliação de outros reagentes mitigatórios de corrosão.
  • CBA: Alumínio, SP, Brasil, 2017, gerente técnico. Estudos reológicos de lama vermelha (resíduos de bauxita) a diferentes temperaturas.
  • MBR: Itabirito, MG, Brasil, 2008. Caracterização de polpas de concentrado de minério de ferro e avaliação dos parâmetros reológicos de polpas de minério de ferro, granulometria, densidade, deposição, ângulo de escorregamento e penetração.

Alunorte Bauxita Paragominas: Paragominas, PA, Brasil, 2005 - 2007. Caracterização de polpas e lama de bauxita, avaliação de parâmetros reológicos da polpa e lama de bauxita da Alunorte (viscosidade, limite de escoamento, abatimento) para projetos de bombeamento.

Nota do tradutor: No texto acessado pelo link, este item aparece como um parágrafo normal, sem um bullet. Entretanto, considerando o contexto, ele deveria dar continuidade aos bullets anteriores.